Pesquisas revelam que na idade de 0 a 3 anos a estimulação é fundamental para o pleno desenvolvimento infantil é nesta fase que o cérebro possui a capacidade de absorver conhecimento e novos aprendizados, devido sua neuroplasticidade. Nos primeiros anos de vida o cérebro está pronto para receber novas habilidades, através de estímulos por meio do jogo simbólico, levando o sujeito a estabelecer diferentes significados ao seu ambiente.
Os humanos interagindo com o meio onde vivem desenvolvem suas funções cognitivas, motoras e emocionais. Em relação ao bebê se este não receber os estímulos adequados, ocasionará o prejuízo em seu desenvolvimento pleno.
LEVY, 2001, p. 12 diz que:

(…) não basta amar e alimentar uma criança (…). É preciso compreender e saber que atividades motoras concorrem para o desenvolvimento do cérebro e são indispensáveis à organização do sistema nervoso. A ausência de estímulos acarreta a perda definitiva de funções inatas.
A criança que esta exposta a estímulos costuma desenvolver-se e constrói sua autonomia e cidadania muito mais rápido do que aquela criança que fica em um ambiente sem estímulos, é fundamental a criança estar inserida no contato com outras pessoas participando de um grupo social seja ele familiar ou escolar, através das experiências com o outro, na realização de brincadeiras, cantigas e movimento estabelece-se vínculos diferentes.
Com rotinas organizadas a faixa etária e as necessidades, a criança tem a oportunidade de explorar novos objetos e brincadeiras a fim de que construa seu conhecimento através da imaginação, sendo ela responsável pela regulação das emoções e das ações.
As atividades ocorridas na faixa etária dos zero aos 3 anos e 11 meses ira auxiliar ao desenvolvimento do raciocínio lógico, orientação espaço-temporal, percepção, lateralidade, tônus e descontração muscular, equilíbrio e postura e coordenação motora, facilitando o aprendizado no período de alfabetização.
Nesta fase a criança tem necessidade de ouvir, tocar, sentir, entre outros. É o início da socialização da ação.
A importância da estimulação é essencial, pois irá promover a autoestima, oportunizar experiências novas e variadas que estimulem o processo de aprendizagem, a motivação ao aprender novas situações, a criança tem o desejo de aprender, através de sua curiosidade em conhecer o mundo, por meio de seu corpo, experimentando, investigando, degustando, analisando e trabalhando de forma cooperativa.

Dica: Livro LEVY, J. O Despertar do Bebê. São Paulo: Martins fontes, 2001.