Pensar no desenvolvimento infantil é algo amplo e complexo.

Você já parou para pensar, desde o nascimento, o quanto a criança aprende e se desenvolve? Isso pode ser facilmente observado na forma motora, quando a criança começa a segurar objetos, a engatinhar e andar. É visível também no desenvolvimento da linguagem com as primeiras palavras. Esses conhecimentos são elaborados de forma diferentes, em um processo gradativo, assim como quando essa criança ingressa no ambiente escolar, e sua aprendizagem é percebida ano a ano com diferentes objetivos.

Dentro dessas etapas, existe um fator que acompanha a criança em todos os momentos do seu desenvolvimento e que não pode ser esquecido, pois ele determinará em boa parte o sucesso da criança na aprendizagem, na vida social e afetiva. Estou falando das emoções!

Para nós adultos, muitas vezes controlar e expressar sentimentos não é algo simples. Sentimos, choramos, nos indignamos, mas a maturidade nos faz buscar o equilíbrio e o discernimento das nossas ações.

Mas, e a criança?

Ao nascer, a criança expressa suas primeiras vontades, emoções e sentimentos através do choro e mais tarde expressa o que pensa e sente através das primeiras palavras. Ou não…

Ao ignorar ou negar as emoções expressas pelas crianças, estamos praticando um ato perigoso! A saúde emocional da criança, determina em boa parte seu sucesso na vida social, nas relações, na aprendizagem e em hábitos e costumes que podem durar uma vida inteira.

Por isso, é preciso entender que o mundo da criança é tão importante quanto o do adulto. Suas emoções e sentimentos possuem um sentido importante e um significativo para seu momento de desenvolvimento e são expressados muitas vezes pelo choro, grito, birra e palavras.

Nesse caminho de desenvolvimento, cabe a nós adultos, a família e a escola orientar a criança a saber lidar e expressar suas emoções de forma adequada a cada momento. Isso pode levar um tempo, pois necessita de investimento em escuta, diálogo e em explicações sobre a vida que para a criança não são óbvias e fáceis de administrar inicialmente.

Pensando em todas essas questões e com objetivo de promover um desenvolvimento integral e humano, dentro da Proposta Pedagógica da Trilhas do Saber, estão previstos momentos de escuta, diálogo, intermediações na resolução de conflitos e também atividades lúdicas e aulas de Filosofia, que estimulem a criança a pensar, a resolver problemas e lidar com situações cotidianas. Essas questões são trabalhadas mesmo antes que surjam situações inusitadas, ou seja, trabalhadas também de forma preventiva.

Com esses cuidados e estímulos desde cedo, a criança aprenderá a expressar sentimentos, vontades e a resolver seus conflitos internos de forma saudável e favorável ao seu desenvolvimento.

Priscila Chupil
Pedagoda / Psicopedagoga / Mestre em educação
Psicopedagoga Trilhas do Saber